ENCONTROS / ENCUENTROS / INCONTRI MED [mediterrâneo/medieval] MONSANTO 2019

Inscrições abertas!

Preços

Aulas, conferência, concertos de 8 a 10 de Novembro – 75€/pax

Grupos de 4 pessoas ou mais – 65€/pax

Estudantes – 45€/pax

Residentes no Município de Idanha-a-Nova – entrada grátis.

Mauricio Molina, PhDadufe e frame drums medievais (Espanha)

Adufeiras de Monsanto – Tradição Oral: toque e cantigas de adufe (Portugal)

Isabel Martín – pandero cuadrado de Peñaparda (Espanha)

Bruno Spagna – tamburello e tamorra (Itália)

Rui Silva – adufe moderno (Portugal)


O projecto

O Ensemble Med propõe anualmente um encontro de artistas da Bacia do Mediterrâneo, que na zona raiana de Idanha-a-Nova homenageiam o património musical de raiz Mediterrânica e/ou Medieval, de raiz escrita e oral, em particular com a tradição dos pandeiros / adufes / “framedrums”.

A inspiração de ENCONTROS / ENCUENTROS / INCONTRI MED [mediterrâneo/medieval] MONSANTO2019 é o delicado ponto de contacto entre os universos da música antiga historicamente informada e a música tradicional historicamente informada, procurando a sua própria interpretação viva e actual da música de raiz medieval Europeia, realizada em torno da Ibéria e das regiões circundantes do Mar Mediterrâneo, numa abordagem multicultural e transversal.

 O projeto nasceu do “Diálogo Interculturas no Mediterrâneo Medieval” , promovido pelo Ensemble Med / O Corvo e a Raposa Associação Cultural em Novembro 2018 na Aldeia de Monsanto, Idanha-a-Nova, cofinanciado pelo Programa de Apoio às Artes da Direção Geral das Artes / Ministério da Cultura com o apoio do Município de Idanha-a-Nova. 

Para Novembro de 2019, propõe-se um olhar mais atento à Península Ibérica e Italiana, com Maurício Molina (Barcelona / City University of New York), Bruno Spagna ( Itália), Isabel Martin (Espanha), Rui Silva (Portugal) e as convidadas especiais Adufeiras de Monsanto (Portugal).

Aldeia de Monsanto / Idanha-a-Nova

O Encontro promovido pelo Ensemble Med em parceria com o Município de Idanha-a-Nova: “Diálogo Interculturas no Mediterraneo Medieval”, procura ligar o património intangível de Idanha-a-Nova e Monsanto: a valorização da Tradição Oral do toque e das cantigas de adufe da região, com o património tangível, em todo o seu esplendor românico.

adufes.com 

A base de investigação do ENCONTRO é de Rui Silva, músico e artesão singular no panorama português, com um trabalho inédito de divulgação do Adufe Português. No seguimento da primeira edição, em Novembro de 2018, onde o Ensemble e os Participantes do Curso trabalharam com as Adufeiras de Monsanto.


Programa (provisório)

Dia 08 de Novembro (sexta-feira)

9h30 – LAGAR Boas-vindas e Aquecimento

10h00 – 11h30 Aula com Rui Silva: Adufe Moderno

11h30 – 13h Aula Aberta Maurício Molina – adufe medieval e frame drums ibéricos

15h00 – 16h30h  Aula com Bruno Spagna – introdução à Tamorra e Tamborello

16h30 – 18h00 Aula com a Isabel Martín: introdução ao pandero cuadrado de Peñaparda

18h CENTRO INTERPRETATIVO Showcase Bruno Spagna no evento iFoodLab

21h30 LAGAR Concerto “Bruno Spagna” noite italiana!


Dia 9 (sábado) 

9h30 – IGREJA MATRIZ DE MONSANTO Aquecimento

10h00-12h45 Aula com as Adufeiras De Monsanto

15h00 – 16h30 LAGAR  Aula com Bruno Spagna – introdução à Tamorra e Tamborello

16h30 – 18h Aula com a Isabel Martin: introdução ao pandero cuadrado

18h00 -19:00 Espaço FORNO Conferência pública ADUFE com Maurício Molina, City University of New York

21:30 IGREJA MATRIZ DE MONSANTO ENSEMBLE MED c/ Maurício Molina e Adufeiras de Monsanto


Dia 10 (domingo)

10h00 – LAGAR Aquecimento

10h30 – 13h00 Ensaio TUTTI com todos os professores, grupos e participantes

16:00 CAPELA SÃO PEDRO DE VIR-A-CORÇA

CONCERTO Participantes Curso c/ formadores & Ensemble Med 


FICHA TÉCNICA

Direção Geral: Daniela Tomaz & Rui Silva

Direcção Artística: Rui Silva

Formadores: Adufeiras de Monsanto, Bruno Spagna, Isabel Martín, Maurício Molina e Rui Silva

Artistas: ENSEMBLE MED & Maurício Molina e Adufeiras de Monsanto; Bruno Spagna

Promotor: O Corvo e a Raposa & Município de Idanha-a-Nova

Assistente de produção: Maria Simões

Apoio: www.adufes.com

Workshop de adufe | Ponte de Lima

Workshop de adufe integrado no festival Percursos da Música 2019 e no projecto do Ensemble Med “Diálogo Interculturas Mediterraneo Medieval”.

Nível: básico (depende do nível médio de todos os participantes)

Localização: Teatro Diogo Bernardes, Ponte de Lima.

Data: 19 de Julho

Horário: 15h-17h

Número de participantes: 10 – 20.

Adufe: Os participantes idealmente deverão ter adufe. Número limitado de instrumentos para emprestar.

Inscrições obrigatórias através do formulário abaixo.

Contactos: ruisilvaperc@gmail.com | tlm. 965548227


Sumário

Para começar a tocar adufe: postura, sons e ritmos tradicionais – básico

Neste workshop (2h), será dedicada a quem quer começar a tocar adufe. Vamos ver lentamente todos os passos para começarem a “tratar o adufe por tu”. Faremos exercícios baseados nos ritmos tradicionais para que todos os consigam compreender e tocar. Se possível, aprenderemos 2 canções: uma binária, outra ternária.

Não é necessário saber música para poder participar.

Mini-curso de adufe em Lisboa | Junho, 2019

Preço 15€ – 4 horas | 10€ – 2 horas

Duração 4horas (2h+2h)

Horário
– 19 de Junho das 20h às 22h
– 20 de Junho das 20h às 22h

Local Academia de Música Antiga de Lisboa

ADUFE quem não tiver adufe e pode participar. Com aviso prévio poderei levar adufes extra. Quem pretender adquirir um adufe construído por mim para realizar o curso, usufruirá de um desconto.

SINOPSE

Mini-curso dedicado às cantigas de adufe.

Depois inúmeras formações em que abordámos o adufe da perspectiva de instrumento de percussão, da sua técnica básica e ritmos tradicionais, proponho que partamos agora das cantigas.

Não obstante, farei uma introdução ao adufe e ao que precisamos para “tratar o adufe por tu”, vamos estar sempre a cantar.

De seguida, vamos ouvir e aprender várias cantigas de adufe. Analisar as diferenças entre as várias aldeias, a prática em grupo das adufeiras, o repertório, a estrutura e as temáticas recorrentes. Falaremos dos principais grupos e da sua localização.

Toda a gente pode participar, não é necessário ser cantor! Todos cantamos, melhor ou pior. Mais afinado, menos afinado. São bem-vindos!

Levo letras para os participantes e exemplos dos discos que todos devem ter para poderem acompanhar.

Workshop de adufe | Lisboa, 27 de Abril 19

Local: Academia de Música Antiga de Lisboa, Rua Abílio Lopes do Rego, nº 8

Preços:

Parte I – 14h30-18h30 – básico – 10€/pax

Parte II – 16h30-18h30 – intermédio/avançado – 10€/pax

Parte I e II – 14h30-18h30- 15€/pax

OFERTA: ofereço aos primeiros 10 inscritos a aplicação de uma alça no vosso adufe para poderem tocar como um pandero de Peñaparda.

O workshop será dividido em duas partes:

I – Para começar a tocar adufe: postura, sons e ritmos tradicionais – básico

A primeira parte do workshop (1h30), será dedicada a quem quer começar a tocar adufe. Vamos ver lentamente todos os passos para começarem a “tratar o adufe por tu”. Faremos exercícios baseados nos ritmos tradicionais para que todos os consigam compreender e tocar. Se possível, aprenderemos 2 canções: uma binária, outra ternária.

II – Cantigas de adufe, “Clapping music” para adufes e como usar o adufe como pandero de Peñaparda

Na segunda parte (1h30) vamos trabalhar novos padrões rítmicos e novas técnicas performativas para acompanhar cantigas de adufe. Faremos uma adaptação do “Clapping Music” de Steve Reich para adufes e faremos uma introdução à utilização da alça no adufe, usando-o como pandero cuadrado de Peñaparda.

NOVO: adufe tradicional

O novo modelo “Adufe Tradicional” é dirigido a quem pretende tocar repertório tradicional, com a técnica tradicional.

Adufe tradicional para 2019

É um instrumento de qualidade profissional, construído à mão, com madeiras e peles de cabra cuidadosamente seleccionadas.

Pele de cabra

Inclui uma nova versão do meu sistema de afinação das peles. A adufeira ou adufeiro pode regular a tensão das peles como pretender, sem estar sujeito aos problemas causados pelas variações de humidade e temperatura.

Sistema de afinação

As medidas são 37,5cm X 5cm e o peso cerca de 850g. É um instrumento leve, confortável de agarrar e fácil de tocar durante várias horas.

As soalhas interiores são caricas de cerveja.

Recebe um alça que tem duas funções: primeira, para tocar como um pandero de Peñaparda (à espanhola, com baqueta); segunda, para colocar o polegar e ajudar no equilíbrio do adufe para quem está a começar.

Alça

As maravalhas são removíveis e substituíveis a gosto.

Maravalhas

Principais diferenças em relação ao modelo Universal:

  • o Tradicional é todo da mesma espessura (no Universal a espessura varia de canto para canto e as peles não estão paralelas)
  • no Tradicional os dois lados são “tradicionais”, soam de maneira igual (no Universal é possível tocar técnicas com dedos, como um frame drum)
  • preço: o Tradicional pretende ser um adufe de qualidade acessível a todos
  • o Tradicional será mais fácil de tocar e mais imediato

Bateristas e percussionistas como usar o adufe num set?

Set do percussionista Iúri Oliveira.

São muitos os percussionistas e bateristas que usam o adufe na horizontal como caixa ou tom-tom, como complemento ao kit de bateria comum ou num kit personalizado. Uma das primeiras pessoas que vi tocar adufe desta forma foi o Quiné Teles.

Abaixo podem ver o músico João Sousa, que gentilmente gravou e publicou dois vídeos demonstrativos.

A ter em conta quando se usa o adufe na horizontal:

  1. Não deve ter soalhas no interior. Pode ser usado sem soalhas (obtendo apenas o som da pele) ou podem ser colocadas soalhas por fora (elásticos, guizos, caricas…)
  2. As dimensões.
  3. Tocar preferencial com vassouras, rods e baquetas com feltro. Não é aconselhado tocar com baquetas de madeira (é possível, mas com cuidado para não danificar o instrumento).

Tamburi Mundi 2019: curso de adufe em estreia!

O Tamburi Mundi – International Frame Drum Festival, em Freiburg na Alemanha é um dos mais importantes festivais de frame drums no Mundo.

É um evento onde estão presentes músicos, professores, investigadores, artesãos, alunos, curiosos e público em geral. Aqui é possível conhecer quase tudo o que se faz com os frame drums, há cursos de frame drums, concertos, palestras, workshops e feira de instrumentos. Há ainda drum circles e batucadas nos jardins da cidade e actividades para as famílias.

Estive presente em 2013, 2014, 2015, 2018 e 2019 como músico, formador e artesão. Em 2019, lá estarei e pela primeira vou dar um curso de adufe. Têm mais informação no link abaixo.

Curso de Adufe no Festival Tamburi Mundi 2019