11 por 8 (2+2+3+2+2): introdução

Na música podem existir compassos binários, ternários e quaternários. A subdivisão dos tempos pode ser binária, ternária ou uma combinação das duas.

O que é a subdivisão do tempo? É o número de partes no qual um tempo de se divide.

Assim podemos ter um compasso binário (com dois tempos) com subdivisão binária (cada tempo de subdivide em duas partes) ou ternária (cada tempo de subdivide em três partes).

Quando a subdivisão é binária ou ternária, os tempos têm todos a mesma duração respectivamente, e a pulsação é igual e constante.

Quando a subdivisão é uma combinação de tempos de subdivisão binária e ternária, temos uma sensação de pulsação irregular, já que temos tempos de duas partes e três partes misturados.

Complicado? Um pouco.

“11 por 8” é o nome do compasso. Como se vê indica que tem 11 partes. É um ciclo de 11 partes. O 8 refere-se à colcheia, o que para já não importa. 🙂

A particularidade deste ritmo, o interesse e a dificuldade em tocá-lo é que o tempo irregular está no meio do compasso:

2 + 2 + 3 + 2 + 2

O 2 indica a subdivisão binária e o 3 a ternária.

É fácil perdermo-nos e não sabermos onde está o primeiro tempo. Neste exercício, construí um padrão com dois compassos, para melhor compreensão e interesse musical. No primeiro compasso começamos no Dum e no segundo no Tá.

Como praticar:

1 – Dizer e tocar o primeiro compasso

2- Dizer e tocar o segundo compasso

3 – Tocar o primeiro compasso. Pausa. Tocar o segundo compasso. (Ao fazer uma suspensão entre eles, temos tempo para perceber como é a dinâmica entre eles e a continuidade)

4 – Tocar/dizer o ciclo dos dois compassos completos.

Se tiverem dúvidas ou sugestões, por favor, entrem em contacto.