“Tratar o adufe por tu”

“Tratar o adufe por tu!” foi a expressão que me ficou da primeira visita a Monsanto (Idanha-a-Nova), dita pela D. Laura das Adufeiras de Monsanto.

Como começar a tocar adufe, o que se deve fazer, quem ensina?

Na minha opinião, o ideal é ir passar um fim de semana ao Concelho de Idanha-a-Nova e ao Paúl (Covilhã), e conhecer as adufeiras do contexto tradicional e aprender com elas directamente (posso ajudar com nomes e contactos). É também importante conhecer os artesãos tradicionais e apreciar como constroem, como vivem e qual o papel do adufe na sua vida.

Para quem quiser saber um pouco mais, acrescente uma viagem a Miranda do Douro para conhecer o pandeiro mirandês.

Ao contrário daquilo que normalmente se conhece e se pensa – que a tradição do adufe se cinge ao ritmo ternário da Senhora do Almurtão da canção do Zeca Afonso – cada adufeira, cada aldeia, cada região, tem determinadas características na técnica de execução e no reportório que tornam a tradição do Toque do Adufe riquíssima.

É natural, que as visitas de estudo não sejam suficientes, o toque do adufe e a Tradição envolvente estão ligadas a rituais quotidianos que nos são cada vez mais distantes.

Neste sentido, tenho tentado nos últimos anos desenvolver uma metodologia de ensino em torno do adufe que nos permita desfrutar de um saber único e ancestral.

Primeiros exercícios: introdução à técnica tradicional

Uma boa postura, uma boa pega são metade do som no adufe. Deixo aqui alguns vídeos com os primeiros exercícios para começar a tocar a técnica básica.

Como segurar no adufe?

Como equilibrar o adufe?

Som dos adufes vem das entranhas…

Como tirar bom som do adufe?

Cantigas com ritmo binário

 

Cantigas com ritmo ternário