I Cursos de Adufe | Lisboa, Julho 2018

Datas 1 e 15 de Julho Duração 4 horas (2h + 2h) Horário 14h30 – 16h30 | 16h45 – 18h45

Preços pax Curso básico – 20€ | Curso intermédio/avançado – 20€ | 1 sessão de 2h: 15€ | Curso básico + intermédio/avançado – 30€

Lotação máxima 20 pax por turma  Local Academia de Música Antiga de Lisboa, Rua Abílio Lopes do Rego, nº 8

CURSO BÁSICO “Tratar o adufe por tu”

Esta formação tem como objectivo dar as ferramentas básicas necessárias a cada participante para poder tratar o adufe por tu, abordando os princípios básicos da sua execução, descontruindo-os em exercícios criativos, simples, progressivos e em grupo, que visam igualmente o desenvolvimento da independência e coordenação psico-motoras.  

Não é necessário ter formação ou experiência musical anterior. Utilizaremos um sistema rítmico silábico para transcrever os ritmos tradicionais e realizar todos os exercícios.

1. Princípios básicos:

– Como segurar o adufe (posição das mãos).

– A posição do adufe em relação ao corpo.

– O equilíbrio, movimento do instrumento e do corpo durante a execução.

– Sons básicos: Dum e Tá.

– Ritmos básicos – Binário e Ternário

– Ornamentação dos ritmos com a mão esquerda. 

2. Performance:

  • Recriação da dinâmica de um grupo tradicional de adufeiras.
  • Principais características performativas: monodia e monorritmia.
  • Memorização e reprodução de cantigas de adufe pelos participantes.

CURSO INTERMÉDIO/AVANÇADO – Adufe Moderno

Neste curso dirigido a quem já toca adufe, conhece as técnicas e os ritmos básicos, propõe-se uma abordagem que parte dos frame drums, ritmos e técnicas que se podem observar no Mediterrâneo e Próximo Oriente e estabelece pontos de contacto com o instrumento e a Tradição que podemos encontrar na Beira Baixa e Paúl.

Os conteúdos deste workshop resultam do amadurecimento do trabalho de investigação, adaptação, exploração e aplicação de novas técnicas de execução no adufe, séc. XXI adentro. O instrumento inovador desenvolvido pelo formador, as novas técnicas e linguagens permitirão assim projectar o adufe como instrumento “moderno”. 

Esta formação tem como objectivo dar as ferramentas necessárias a cada participante para poder iniciar uma nova etapa na sua relação com o adufe. Muitas das técnicas a trabalhar são passíveis de aplicar a outros frame drums, que serão igualmente bem-vindos à formação. Durante o curso serão trabalhados padrões métricos e estruturas, utilizando sílabas e a metodologia desenvolvida pelo formador, através da desconstrução dos ritmos tradicionais, de exercícios criativos, progressivos e em grupo, que visam igualmente o desenvolvimento da independência e coordenação psico-motoras.  

Conteúdos

1. Adufe moderno

  • Novas técnicas de adufe: Split hand, glissandos, snaps e outros efeitos sonoros 
  • Breve abordagem a noções musicais de ciclo, padrão, proporcionalidade, subdivisões, métrica, etc.
  • Sistema rítmico silábico
  • Audição crítica dos vários exemplos de cantigas de adufe

2. Performance:

  • Execução em grupo de peças escritas para adufe, utilizando as novas técnicas e métricas.
  • Releitura das cantigas tradicionais utilizando novos padrões métricos e processos compositivos partindo da tradição oral

 

CURSO BÁSICO ou INTERMÉDIO/AVANÇADO?

Os dois cursos são complementares e dão uma visão abrangente do adufe. No BÁSICO vamos trabalhar sobretudo os princípios fundamentais para quem começa a tocar adufe ou toca à pouco tempo, tais como, o equilíbrio, o movimento, a postura e o som. No CURSO INTERMÉDIO/AVANÇADO vamos directamente às novas técnicas e ritmos. Quem fizer o curso BÁSICO pode participar ao curso AVANÇADO.

Inscrição

NOTA é necessário ter adufe próprio e fazer inscrição através do formulário abaixo. Número de participantes limitado e por ordem de inscrição.

PAGAMENTO a realizar no dia do curso.

Horário provisório e conteúdos

Rui Silva

Rui Silva

Formador

Notas Biográficas

Rui Silva 1984, Coimbra. Especializou-se em Percussão Histórica com o lendário percussionista espanhol Pedro Estevan, no Master en Interpretación de Música Antigua – Percusion Histórica na ESMUC/UAB (Barcelona, Espanha).

Toca com as Sete Lágrimas Consort de Música Antiga e Contemporânea (2009-), com quem gravou vários CDs e tem tocado nos mais importantes palcos e festivais de música antiga. É músico da Capella Sanctae Crucis, Nouvelles Musiques Anciennes du Portugal (2013-), dirigido por Tiago Simas Freire, que em 2016 publicará um CD com obras do extraordinário e inédito acervo da escola de Santa Cruz de Coimbra.

A sua prática performativa é profundamente marcada pela Tradição Oral do adufe, frame drum tradicional português de forma quadrangular, que tem introduzido nos mais diversos contextos musicais (música antiga, teatral, sinfónica, de intervenção, tradicional, etc).

Recentemente, dedica-se ao “Adufe Moderno” conceito que criou e que define a exploração de novas técnicas performativas e de expansão da linguagem do adufe a partir de outros frame drums tradicionais. Tem desenvolvido uma intensa investigação junto de adufeiras e artesãos da região da Idanha-a-Nova e Paúl, aprendendendo, registando, transcrevendo e analisando o processo construtivo, práticas performativas, técnica, linguagem e contexto tradicional actual.

Entre 2012-2015, partilhou os conhecimentos adquiridos através do projecto AL-DUFF. Orientou cerca de 50 workshops sobre o toque tradicional, transcreveu e publicou ritmos tradicionais e canções de adufe, fez comunicações em congressos e artigos, participou em programas de rádio e televisão, exposições, etc.

Em 2013 lançou a sua marca de artesão, construindo adufes com sistema de afinação da pele. Esta inovação projecta o adufe, instrumento ancestral, para um novo nível performativo em pleno séc. XXI dando-lhe versatilidade e fiabilidade. Participou nas últimas 3 edições do Tamburi Mundi – Festival Internacional de Frame Drums como performer, formador e artesão.

Estudou percussão erudita na Escola Profissional de Música de Espinho (2002-2005) e na Escola Superior de Música e Artes do Espectáculo no Porto (2005-2009).

Desde Novembro de 2016, é maestro da Filarmónica Recreio dos Pastores de São João do Pico.