Chamo buzzz ao zumbido que um elástico colocado à volta do adufe produz, quando se percute a pele.

Esta ideia inovadora e simples é inspirada no bendir do norte de África (podem ver no vídeo à direita) e nos bordões dos pandeiros mirandeses (espreitem o blog do Paulo Meirinhos, explica detalhadamente as várias possibilidades).

 

 

 

Da minha experiência como artesão, percebi que colocar fios ou guizos por dentro do adufe é correr o risco de que quando os fios perdem a tensão ou se partem, ser sempre necessário abrir o adufe para corrigir o problema.

 

Colocando o elástico por fora do adufe permite:

  • dosificar a quantidade de vibração pretendida (que também varia consoante a tensão da pele)
  • retirar o elástico e tocar no adufe sem zumbido
  • pendurar guisos ou soalhas no elástico diversificando ainda mais o tipo de som produzido
  • explorar timbricamente o adufe ao longo de uma performance alternando som com zumbido e sem zumbido